Huawei nega interesse em comprar Oi; UE planeja investigar oferta da Boeing pela Embraer e mais destaques


Confira os destaques corporativos desta segunda-feira


(Divulga��o/Embraer)

No Radar InfoMoney desta segunda-feira destaque para Oi, com informações sobre possível proposta de compra por chineses; a Petrobras com recebimento bilionário da Eletrobras; e � Cemig com extensão da concessão da Gasmig.


Oi (OIBR3;OIBR4)


A Huawei Technologies e a China Mobile estão explorando uma parceria para entrar na disputa pela Oi, disse o jornal O Globo neste final de semana, sem citar como obteve a informação.


A Huawei, fabricante de celulares que está no meio da guerra comercial entre EUA e China, busca a oferta como uma oportunidade de entrar no mercado brasileiro e expandir seu alcance para a tecnologia 5G, informou o jornal.


Um porta-voz da Oi não quis comentar a informação. A Huawei negou interesse em comprar Oi ou qualquer tele no Brasil, segundo informou a Reuters. Funcionários da China Mobile não puderam ser contatados após o horário comercial.


A especulação sobre a proposta ocorre após o Senado ter aprovado um projeto de lei para atualizar a estrutura obsoleta de telecomunicações do país, abrindo caminho para a Oi implementar um plano para vender até US$ 2 bilhões em ativos não essenciais.


No início desta semana, a Suno Notícias informou que a China Mobile apresentou uma solicitação para operar no Brasil e, eventualmente, adquirir a Oi. A Anatel disse em 17 de setembro que não tinha nenhuma informação oficial sobre a solicitação.


A aprovação do Senado também provocou especulações de negociações entre outras empresas. Na semana passada, Telecom Italia e Telefonica Brasil negaram notícias na mídia brasileira de que estariam negociando com a Oi.


A operadora de telecomunicações do Rio de Janeiro quer vender ativos, incluindo sua unidade africana Unitel e concentrar-se na sua rede de fibra ótica, a maior do Brasil, enquanto ingressa na última etapa do plano de recuperação judicial, em curso há dois anos.


A Oi informou ainda que, depois de ouvido o Juízo da 7ª Vara Empresarial da Comarca da Capital do Rio e o MPRJ, o Conselho de Administração elegeu Rodrigo Abreu para assumir o cargo de Diretor Estatutário, sem designação específica, com as funções de Chief Operational Officer – COO, reportando ao Diretor Presidente da Companhia.


Embraer (EMBR3)


A Agência Reuters informou que reguladores antitruste da União Europeia devem abrir uma investigação relacionada � oferta de US$ 4,75 bilhões da Boeing por uma participação no bloco de controle da área de aviões comerciais da Embraer, de acordo com fontes.


Segundo a publicação, a atual revisão do acordo pela Comissão Europeia está prevista para terminar no dia 4 de outubro. Ainda de acordo com a Reuters, a investigação em larga escala poderia levar até 5 meses e elevar a pressão sobre a Boeing para oferecer concessões relativas � concorrência.


Petrobras (PETR3;PETR4) e Eletrobras (ELET3;ELET6)


A Petrobras celebrou Contrato de Cessão de Direitos Creditórios que permitem a antecipação de cerca de R$ 8,4 bilhões dos recebíveis da Eletrobras reconhecidos nos Instrumentos de Assunção de Dívidas (IADs) referentes � integralidade das dívidas confessadas em 2014 pelo Sistema Eletrobras, com vencimento original até janeiro de 2025.� O acordo libera garantias reais de R$ 9,4 bi da empresa de energia, segundo comunicado.


Segundo a petroleira, o contrato foi assinado com um fundo de investimento em direitos creditórios, em operação estruturada por Banco Santander, Banco Itaú BBA e BB Banco de Investimento. “A conclusão da operação, com a consequente entrada de recursos no caixa da companhia, está prevista para os próximos dias, sujeita ao cumprimento de condições precedentes usuais a esse tipo de transação”, afirmou.


“Os recursos recebidos serão destinados ao gerenciamento de passivos da companhia, que visa � melhora do perfil de amortização e redução do custo da dívida, levando em consideração a meta de desalavancagem prevista em seu Plano de Negócios e Gestão 2019-2023”, completou a Petrobras.


Adicionalmente, a Petrobras informa que celebrou aditivos aos IADs de 2014 (objeto do contrato de cessão) e de 2018 com a Eletrobras, “com o objetivo de liberar a obrigação de oferecimento de garantias reais pela Eletrobras em troca de novas obrigações.” Os valores a receber da Eletrobras estão apresentadas nas notas explicativas 8.4. das demonstrações financeiras de 2018 e 5.4. do ITR do segundo trimestre.


 


Cemig (CMIG4)


A Cemig informou que sua controlada, Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig), celebrou com o Estado de Minas Gerais, na qualidade de poder concedente, o terceiro termo aditivo ao contrato de concessão para exploração industrial, institucional e residencial dos serviços de gás canalizado em Minas Gerais.


Segundo a empresa, a celebração do aditivo representa a conclusão do processo de reequilíbrio econômico-financeiro do contrato de concessão, o qual assegura � Gasmig a extensão do prazo de vigência da sua concessão até o ano de 2053. A título de bônus de outorga a empresa pagará R$ 852 milhões ao governo mineiro.


O reequilíbrio econômico-financeiro consiste na substituição da obrigação contratual assumida pela Gasmig de construção do gasoduto para atendimento � Unidade de Fertilizantes Nitrogenados que seria construída pela Petrobras, na região do Triângulo Mineiro, além do pagamento de uma contraprestação ao governo de Minas Gerais.


“O pagamento da outorga compensatória, deverá ser efetuado pela Gasmig, mediante a emissão de títulos de dívida no mercado de capitais, e será considerado como ativo intangível regulatório e, portanto, incorporado na base de cálculo da remuneração dos ativos da concessão”, concluiu o fato relevante.


Banco do Brasil (BBAS3)


A oferta de ações do BB deve ser lançada em 3 de outubro, diz o Valor. Ideia é que sejam ofertadas ações detidas pelo FI-FGTS, fundo administrado pela Caixa Econômica Federal, excedentes ao bloco de controle pertencentes � União e ações que o próprio BB possui em tesouraria, segundo o jornal. A precificação pode ocorrer em 17 de outubro, se o cronograma avançar dentro do planejado.


Usiminas (USIM5)


A Usiminas informa que o Conselho de Administração aprovou a 7ª emissão de debêntures simples para distribuição pública com esforços restritos de distribuição, em montante total de até R$ 2 bilhões.


Quer investir em ações com corretagem ZERO na Bolsa? Clique aqui e abra agora sua conta na Clear - é de graça!


Os recursos obtidos pela Usiminas por meio da oferta restrita serão destinados ao pré-pagamento das dívidas contratadas pela companhia perante o Banco do Brasil, o Itaú Unibanco, o Banco Bradesco e os debenturistas da 6ª emissão pública.


Via Varejo (VVAR3)


A Via Varejo tem trabalhado para que o sistema de vendas pela web - confirmação de compra, pagamento e entrega - esteja em completo funcionamento até a próxima edição da Black Friday. Segundo o presidente da Via Varejo Roberto Fulcherberguer, vai ser um "teste de estresse". Isso porque, por falhas internas, a empresa atrasou entregas na principal data de promoções do varejo, em 2018. A corrida é contra o tempo, diz ele: "Estamos vários anos atrasados no digital."


À medida que faz a lição de casa, a Via Varejo também lança novos produtos. Um dos que chegarão � rede dentro dos próximos 60 dias - ainda antes da Black Friday - é o banco digital BanQi. "Faz todo sentido do mundo pôr pelo menos esses 25 milhões de clientes ativos do crediário na nossa solução de banco porque o carnê dele vai estar dentro dela." As mil lojas servirão como uma rede de "agências" do BanQi.


Gafisa (GFSA3)


A Gafisa informou que, concluída a primeira fase da reestruturação da companhia, Roberto Luz Portella renunciou ao cargo de Diretor Presidente e de Relações com Investidores.


(Com Agência Estado e Bloomberg)


fonte: InfoMoney
Back to Top